Relacionamento com conteúdo e estratégia:
comunicação na medida certa
#OrgulhoDeSerPESSOA

Conheça nossos serviços
Releases
Inseed Investimentos / 15.03.2016
CRIATEC 3 ESTÁ EM BUSCA DE EMPREENDEDORES NO PR

Fundo, lançado pelo BNDES, é uma oportunidade para negócios inovadores que buscam crescimento acelerado. Evento vai apresentar detalhes do Fundo e como as empresas poderão participar.

No próximo dia 17 de março, quinta-feira, às 9h30 o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, a Fomento Paraná e a INSEED Investimentos realizam o lançamento oficial do Fundo Criatec 3 no estado do Paraná, em Curitiba. O objetivo do evento é apresentar o funcionamento do Fundo e as oportunidades para os empreendedores do Estado. Com um aporte inicial de 200 milhões de capital, o Criatec 3, já é considerado o maior fundo de apoio ao empreendedorismo e inovação para o desenvolvimento de empresas early stage no Brasil.

O evento tem entrada gratuita e será realizado no Espaço Cultural do BRDE, Rua João Gualberto, 530, para mais informações e inscrições pelo email brdepr@brde.com.br ou (41) 3219-4000.

Alexandre Alves, diretor de prospecção da INSEED Invesitmentos, explica que podem participar do Criatec 3 empresas estabelecidas no Brasil que desenvolvam tecnologias inovadoras e que tenham alto potencial de crescimento. Segundo ele, essas tecnologias devem oferecer forte barreira que impeça ou dificulte sua reprodução por outros players. Devem ser ainda escaláveis e a solução ou produto apresentados deve resolver um problema de mercado muito relevante. “O Criatec 3 é uma oportunidade real em meio à crise econômica que o país está enfrentando. Por isso, é uma excelente opção não só para quem está disposto a ter um sócio investidor que agregue capital, mas também que some em termos de estratégia, governança e gestão”. O diretor ressalta ainda que são procuradas micro e pequenas empresas com faturamento líquido de até R$ 12 milhões, no ano anterior ao investimento. “O Criatec 3 tem como diretriz investir nos seguintes setores: Tecnologia da Informação e da Comunicação, Biotecnologia, Agronegócio, Novos Materiais e Nanotecnologia”, destaca Alexandre, lembrando que são setores prioritários, mas sem excluir outras áreas. Mais informações e inscrições pelo site: http://www.inseedinvestimentos.com.br/criatec3

Com duração total de 10 anos, a INSEED, gestora do Fundo Criatec 3, fará os investimentos ao longo dos quatro primeiros e continuará a fase de desenvolvimento de negócios por mais seis. “Somos uma  gestora de recursos focada em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento. Por isso investimos em empresas com este perfil desde 2002, sendo que grande parte dessas investidas  são hoje referência de negócios inovadores que cresceram significativamente e conquistam mercado no Brasil e no mundo”, confirma Alexandre

“Nós acreditamos que a geração de valor em empresas nascentes é um trabalho coletivo, desenvolvido de forma perseverante junto aos empreendedores, ao somarmos as diferentes visões, conhecimentos e experiências. Cultivamos relações de longo prazo, baseadas em confiança e co-empreendedorismo. Com vivência empreendedora, histórico de muitos cases, a INSEED agrega componentes relevantes para a construção de valor nas empresas investidas. Além do aporte do capital, contribui na tomada de decisões e estruturação dos negócios”, destaca Alexandre.

Entre os exemplos, ele cita a Cianet, que desenvolve tecnologia para provedores de TV e internet, e que figurou entre as 250 PMEs que mais crescem no Brasil, segundo ranking da Deloitte Consultoria, em parceria com a Exame PME. “O faturamento da Cianet antes da entrada no Fundo era de R$ 3,8 milhões/ano, depois da entrada no Fundo ela cresceu quase 1.000% em cinco anos”.

Casos reais de sucesso da primeira edição do Criatec, que já está na fase de desinvestimento, e também é co-gerido pela INSEED, já reverberam no mercado. O mais recente foi o da empresa de geomarketing Geofusion, desinvestida em outubro e que recebeu um aporte de 35 milhões da DGF e da Intel Capital. “Investimos na Geofusion em 2011 e multiplicamos o valor da empresa em mais de dez vezes em 4 anos. Nosso papel como co-empreendedor foi ajudar a empresa a se estruturar e expandir”, conta Paulo Tomazela, diretor de Aceleração da INSEED, que destaca a evolução da companhia no período: “Durante o processo de aceleração, a Geofusion saltou de 26 empregados para 90 e superou a marca de 300 clientes. Tudo isso acompanhado por um crescimento de seu faturamento em cerca de 50% ao ano. Em 2015, ano de forte crise, o crescimento da Geofusion ficará entre 30% e 35%”, destaca Tomazela. São 9 empresas já desinvestidas no Criatec, entre as quais outros cases de semelhante sucesso como Arvus e Usix, ambas vendidas para multinacionais que se instalaram no Brasil a partir destas aquisições